MP cobra a Bolsonaro e Salles até US$ 2 bilhões para barrar Fundo Amazônia

O Ministério Público disse que o colapso da instituição pode ter prejudicado a política ambiental do Brasil.

O Ministério Público (MP) processou Jair Bolsonaro (PL) e Ricardo Salles por descontinuidade do Fundo Amazônia nesta quinta-feira (30).

O MP diz que a descontinuidade do fundo pode ter prejudicado a política ambiental do Brasil.

Bolsonaro e Salles foram referidos como "intransigentes, irresponsáveis e ideológicos"

pelo vice-procurador-geral Lucas Rocha Furtado, que instou o TCU a investigar.

O Fundo Amazônia foi patrocinado pela Alemanha e Noruega. Iniciativas de proteção ambiental custam ao governo US$ 3 bilhões.